Miocardiopatia dilatada: a doença sem cura

Provavelmente você conhece a miocardiopatia dilatada pelo nome de “coração grande”. Essa doença traz o apelido devido à expansão do coração, que se dilata. E, uma vez expandido, não consegue retornar ao seu tamanho natural. Apesar de ser mais comum em idosos, não se limita a esse grupo, podendo ocorrer em pessoas de qualquer idade, principalmente em crianças com outros problemas cardiológicos.
Os sintomas predominantes dessa doença são: falta de ar, fraqueza, cansaço, desmaios, palpitações e inchaços na perna. Grande parte dos sintomas estão associados à incapacidade do coração em bombear o sangue para todas as partes do corpo.
A  miocardiopatia dilatada   deve ser diagnosticada rapidamente, já que seus sintomas podem colocar em risco a vida do paciente. Assim, o tratamento da doença preservará as funções do coração. Quando não tratada, pode causar outros problemas cardiológicos como insuficiência cardíaca e infarto do miocárdio. Melhor prevenir, não é?
Causas e tratamento
Vários problemas podem resultar no aumento do coração, desde má alimentação, sedentarismo e tabagismo, até doenças como anemia, doença arterial coronariana e hipertensão.
O diagnóstico da doença é realizado por exames como ecocardiograma, tomografia, ressonância magnética, eletrocardiograma e o teste ergométrico. Com o resultado dos exames é possível analisar a gravidade da cardiomegalia e, assim, indicar o melhor tratamento. Com a identificação prévia da doença, os riscos de complicações causados pelos sintomas diminuem, assim como a formação de coágulos e sopro cardíaco.
A  miocardiopatia dilatada não tem cura, porém há controle. O tratamento nesses casos é realizado com a ajuda de medicamentos para controlar a pressão, diuréticos e algumas mudanças de hábitos, como a prática regular de exercícios leves e a exclusão ou diminuição de alimentos ricos em sódio.
Caso a doença esteja em graus avançados, algumas cirurgias podem ser indicadas, como implante de dispositivos para regularizar os batimentos cardíacos ou até um transplante do órgão.
Prevenção
A prevenção para a miocardiopatia dilatada é cuidando da saúde do coração. Abusar do álcool, fumar, não praticar atividades físicas e ter uma alimentação ruim são as principais causas de doenças do coração.
Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *