Como o abuso do álcool no carnaval afeta o coração

Especialista dá dicas em como aproveitar feriado sem prejudicar o órgão

Começa a contagem regressiva para uma das datas mais aguardadas do ano: o carnaval. Seja para viajar ou foliar, as bebidas alcoólicas marcam cada vez mais a sua presença no feriado. De acordo com últimos dados da Organização Mundial de Saúde, o consumo de bebidas alcoólicas cresceu mais de 43% na última década no Brasil.

Segundo o cirurgião cardíaco e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, Dr. Élcio Pires Júnior, o consumo exagerado de bebidas alcoólicas aumenta os riscos de doenças cardiovasculares até para quem não possui histórico familiar. “As arritmias cardíacas costumam aparecer quando há um consumo exagerado de álcool, o tipo mais frequente em datas festivas é a fibrilação arterial, que pode ocasionar em mal-estar, fraqueza e queda na pressão”, conta o especialista.

Você pensa que cachaça é água

Como se apenas o álcool já não bastasse, os riscos aumentam ainda mais quando misturado com bebidas energéticas. Essa prática é bastante comum, principalmente durante o carnaval, e pode fazer com que o coração bata de forma acelerada e fora de ritmo.

“O álcool misturado com energético potencializa as chances de arritmias, já que as duas substâncias afetam o miocárdio, o músculo cardíaco. O aumento da frequência cardíaca causada pelo excesso de álcool é chamado de Holiday Heart Syndrome ou síndrome do coração pós-feriado, que pode levar o paciente à morte súbita”, alerta o cirurgião.

Cachaça não é água, não!

Para aproveitar o carnaval sem colocar a saúde geral do organismo em risco, é preciso tomar alguns cuidados: saia de casa bem alimentado, não faça uso de drogas, evite as bebidas energéticas, não exagere nas bebidas alcoólicas, não dirija e se mantenha hidratado.

“Para evitar os danos que o álcool causa no organismo, principalmente no coração, é preciso estar hidratado. As bebidas alcoólicas desidratam as células, por isso, é recomendado que após cada drink, o dobro de água deve ser ingerido. Caso sinta tontura, palpitações, dor no peito ou falta de ar, procure ajuda médica”, finaliza Élcio Pires.

Dr. Élcio Pires Júnior é coordenador da cirurgia cardiovascular do Hospital e Maternidade Sino Brasileiro – Rede D’or – Osasco, e coordenador da cirurgia cardiovascular do Hospital Bom Clima de Guarulhos. É membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e membro internacional da The Society of Thoracic Surgeons dos EUA. Especialização em Cirurgia Cardiovascular pela Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência de São Paulo e Pós Graduação em Cirurgia Endovascular e Angiorradiologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

facebook.com/Dr-Élcio-Pires-Júnior-Cirurgião-Cardíaco | linkedin.com/in/elciopiresjunior | www.instagram.com/drelciopiresjr/ 

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *