Pressão alta é fator de risco em caso de coronavírus

Pessoas com hipertensão e outras doenças crônicas podem apresentam complicações mais graves quando diagnosticadas com o COVID-19


São Paulo, março de 2020 – As doenças crônicas, caracterizada por serem de longa duração e progressão lenta, podem ser assintomáticas e geralmente não possuem cura. E, de acordo com um recente artigo chinês publicado no periódico The Lancet, pessoas portadoras de doenças crônicas fazem parte do grupo com maior risco para desenvolverem complicações mais severas após a contaminação por coronavírus.

No artigo foi apresentado dados de um dos levantamentos realizados na China, feito com mais de mil pacientes. Dos 173 que foram acometidos com sintomas mais graves do COVID-19, 23% tinham pressão alta e 16%, diabetes. Duas condições que a primeira vítima de coronavírus no Brasil possuía.

De acordo com o cirurgião cardíaco e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, Dr. Elcio Pires Junior, outras doenças que afetam o coração como aterosclerose, alto colesterol, insuficiência cardíaca ou pessoas que já sofreram infartos, estão no grupo de risco para o novo coronavírus. “Devido aos constantes medicamentos usados para o controle destas doenças, o sistema imunológico não corresponde da maneira esperada no combate de infecções, fragilizando as defesas naturais do organismo. Entretanto, o uso dos medicamentos não devem ser interrompidos, pois as consequências seriam ainda piores. No caso do coronavírus, pacientes no grupo de risco devem fazer a prevenção com ainda mais atenção”, alerta o médico.

Sintomas

Os sintomas do coronavírus são similares a de um resfriado ou uma gripe comum: tosse seca, febre, fadiga, dores de cabeça e calafrios. Porém, o indivíduo só deve buscar ajuda médica em caso a febre esteja muito alta e apresente dificuldades para respirar.

“O teste para o coronavírus só está sendo realizado em pacientes que estão internados e que apresentam agravamento do quadro clínico. Outros motivos para ir ao pronto-socorro estão sendo desencorajados”, recomenda o especialista.

Prevenção

A orientação do Ministério da Saúde para conter a disseminação do coronavírus no Brasil se baseia em medidas básicas de higiene com regularidade, higienizando as mãos com água e sabão, usando álcool gel caso esteja na rua. Além disso, cobrir o rosto com um lenço ou com a dobra do braço em caso de tosse e espirro.

“Outra medida para evitar a contaminação é o isolamento. Evitar lugares fechados e o contato com outras pessoas doentes previne a contaminação e atrasa a infecção das pessoas que estão no grupo de risco. Caso esteja com sintomas de gripe, evite sair de casa”, finaliza o cirurgião.

Dr. Elcio Pires Junior é coordenador da cirurgia cardiovascular do Hospital e Maternidade Sino Brasileiro – Rede D’or – Osasco, e coordenador da cirurgia cardiovascular do Hospital Bom Clima de Guarulhos, cirurgião cardiovascular pela equipe do Dr. André Franchini no Hospital Madre Theodora de Campinas. É membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e membro internacional da The Society of Thoracic Surgeons dos EUA. Especialista em Cirurgia Endovascular e Angiorradiologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

facebook.com/Dr-Élcio-Pires-Júnior-Cirurgião-cardíaco | linkedin.com/in/elciopiresjunior | www.instagram.com/drelciopiresjr

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *