Hipertensão arterial: uma ameaça silenciosa

No último dia 17, o mundo inteiro se dedicou ao combate e prevenção da hipertensão arterial. Sendo considerada o principal fator de risco para as doenças do coração, que atualmente é a principal causa de óbitos no planeta, a hipertensão tem como principal causa os maus hábitos.

Entre os fatores de risco para a doença, o histórico familiar é um dos primeiros a ser citado, já que estudos confirmam que ser filho de pais hipertensos aumenta em 30% no risco de ter pressão alta. Em seguida, há o avanço da idade, obesidade e sobrepeso, além do sedentarismo, tabagismo, alto consumo de sal, gorduras e açúcares e outras doenças, quando não tratadas.

Diabetes, obesidade e hipertensão

Duas doenças crônicas que estão fortemente ligadas com a hipertensão e merecem o destaque neste artigo são o diabetes e a obesidade. Vale reforçar que a obesidade é um fator de risco para o desenvolvimento de diabetes e hipertensão.

Estar acima do peso faz com que o pâncreas trabalhe mais, podendo levar à resistência insulínica, causando o diabetes tipo 2. E tanto o diabetes quanto a obesidade podem causar a hipertensão, o que aumenta as chances do infarto do miocárdio. O paciente que tem diabetes deve sempre estar com a consulta no cardiologista em dia, pois os sinais de infarto podem ser atípicos. Em apenas 30% dos casos de infarto de diabéticos, os pacientes sentem tontura e dificuldades para respirar.

Pressão alta pode ser assintomática

Em muitos casos, a hipertensão não provoca sintomas claros, mas provoca sérios danos à saúde, sendo um dos fatores de risco para a ocorrência de acidente vascular cerebral, infarto, aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca.

A pressão acima de 140/90 mmHg (ou 14 por 9) faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior do que o normal para fazer com que o sangue seja distribuído corretamente no corpo.

A melhor maneira de se prevenir contra a hipertensão é mantendo bons hábitos para se afastar dos fatores de risco e estar com o check-up em dia. E, caso você já tenha sido diagnosticado com esta doença, o tratamento medicamentoso aliado com boas práticas é essencial para manter a saúde do hipertenso.

Artigo de Dr. Elcio Pires Junior: coordenador da cirurgia cardiovascular do Hospital e Maternidade Sino Brasileiro – Rede D’or – Osasco, e coordenador da cirurgia cardiovascular do Hospital Bom Clima de Guarulhos, cirurgião cardiovascular pela equipe do Dr. André Franchini no Hospital Madre Theodora de Campinas. É membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e membro internacional da The Society of Thoracic Surgeons dos EUA. Especialista em Cirurgia Endovascular e Angiorradiologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.  

facebook.com/Dr-Elcio-Pires-Junior-Cirurgião-cardíaco | linkedin.com/in/elciopiresjunior | www.instagram.com/drelciopiresjr  

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *