Como cuidar do coração na volta aos exercícios após infecção por coronavírus

Entidades brasileiras disponibilizam orientações sobre a prática de exercícios após recuperação da Covid-19

Hoje em dia, não podemos encarar a Covid-19 apenas como uma doença respiratória. Além dos pulmões, a doença repercute em todo o organismo, afetando também vários outros órgãos vitais como o intestino, os rins, o cérebro e o coração.

Quando pensamos no coração, dados mundiais estimam que 16% dos pacientes com Covid-19 apresentaram alguma complicação cardíaca. Os estudos apontaram que essas complicações aparecem até mesmo nos quadros mais leves. Muitas vezes, as sequelas no coração são assintomáticas e as consequências só aparecem quando o paciente exige do sistema cardiovascular, como na prática de atividades físicas, por exemplo.

Pensando nisso, a Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE) fez uma parceria com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) para reunir diretrizes para se exercitar com segurança após a recuperação do coronavírus.

Segundo o cirurgião cardiovascular e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, Dr. Elcio Pires Junior, a miocardite, a inflamação do músculo cardíaco, é um dos fatores mais preocupantes, já que é uma das causas mais frequentes de morte súbita. “Sabe-se que o coronavírus afeta o coração de duas maneiras: se alojando no miocárdio e destruindo as células cardíacas; e provocando uma infecção que deixa o organismo inflamado, prejudicando vários sistemas do nosso corpo, principalmente o cardiovascular”, conta o médico.

Volta às atividades físicas em segurança

O documento assinado pelas duas sociedades médicas é um alerta: para voltar a praticar qualquer esporte, pessoas que se recuperaram da Covid-19 precisam passar por um check-up do coração: eletrocardiograma, a dosagem da troponina no sangue (o resultado alterado indica que o coração não está bem), teste ergométrico, holter e ressonância magnética.
“Com o resultado dos exames em mãos, o médico pode fazer a liberação do paciente para praticar atividades físicas. Mas não saia correndo para a academia para puxar peso! O retorno é gradativo. Portanto, é preciso começar devagar, com o fortalecimento muscular e exercício aeróbico antes dos treinos”, alerta o especialista.

Sem a vacina, as medidas de prevenção continuam: evite aglomerações nas academias, não saia de casa sem máscara e, toda vez que tiver contato com superfícies coletivas, lave bem as mãos ou utilize álcool em gel antes de tocar em seu rosto.

Sobre o especialista: Dr. Elcio Pires Junior é coordenador da cirurgia cardiovascular do Hospital e Maternidade Sino Brasileiro – Rede D’or – Osasco, e coordenador da cirurgia cardiovascular do Hospital Bom Clima de Guarulhos. É membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e membro internacional da The Society of Thoracic Surgeons dos EUA. Especialista em Cirurgia Endovascular e Angiorradiologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. E atualmente é cirurgião cardiovascular pela equipe do Dr. André Franchini no Hospital Madre Theodora de Campinas.

facebook.com/Dr-Elcio-Pires-Junior-Cirurgião-Cardíaco | linkedin.com/in/elciopiresjunior | www.instagram.com/drelciopiresjr

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *